Segunda-feira, 15 de Outubro de 2007

O primeiro passo à descoberta.

Hoje fomos dar uma volta. Pusemos de parte os planos, a papelada, a teoria, e lançámo-nos ao desconhecido. Pois é, fomos visitar a estufa sobre a qual ninguém sabe nada.

Não foi tão difícil de encontrar como esperávamos: depressa demos com aquela imensidão de verde, trancada de todos os seus quatro por uma fina rede, verde, rota, que não lhe garantia qualquer protecção. Pois é. Afinal a estufa não precisa de um "empurrão" para recomeçar o seu desenvolvimento... precisa de TUDO. Basicamente, só não precisa de plantas selvagens e comuns, que disso não falta lá.

Bem, vamos por partes, não queremos queimar etapas. Entrámos, timidamente, na estufa. Abismados pela cor, pelo cheiro, pelo estado quase natural da estufa, ficamos estupefactos. Isso não demorou muito, pois imediatamente encontramos um sujeito com uma t-shirt amarela, tratando de um dos vários caminhos cavados na terra, rodeado de pequenas rochas humedecidas, cheios de água turva e parada. Só depois de estarmos la dentro pedimos autorização para entrar. Tal senhor, extremamente amável, demonstrou logo boa vontade em deixar-nos entrar e, inclusive deu-nos algumas informações.

Pois bem, parece que a estufa não anda para a frente por falta de apoios:
- não têm água (por favor.. aquilo é uma estufa!)
- só tem dois trabalhadores, e são voluntários (um donativo à sociedade de louvar)
- não têm plantas interessantes, raras, bonitas; a maior parte do que ali está, é de origem perfeitamente comum, sendo possível encontrar esses espécimenes em qualquer lugar (e, pelo que consta, a Câmara Municipal de Sintra tem viveiros próprios. Aqui está um bonito exemplo de colaboração entre entidades do estado...).

Fora estes problemas mais básicos, temos outros, também bastante estranhos, inseridos no contexto:

- não têm sistemas de rega (mesmo que tivessem água, as plantas teriam que ser regadas manualmente)
- não têm terra nem vasos (ok, também não lhes dão plantas, mas, se dessem, não tinham terra nem vasos onde as plantar)
- segundo o senhor que nos deu todas estas instruções, também precisavam de menos claridade na estufa: era necessário um revestimento duas vezes mais denso, de forma a evitar a passagem de tanta luz.



Mas nem tudo são defeitos. O espaço é maravilhoso. Tudo bem, está com um ar degradado e abandonado, mas é lindo. Só à primeira impressão, somos invadidos por uma sensação de paz, alegria, pureza.. é fantástico. Sem grandes passeios, deparámo-nos logo com pequenos riachos, grandes árvores, com belas e altas folhagens, rodeadas de pequenos arbustos ou fetos, rasteiros, que ocupam grande parte do chão. Minusculos insectos sobrevoam-nos, outros, rodopiando loucamente à volta de algo entre as folhas, não dão sequer pela nossa presença, enquanto que pequenos peixes, uns de cores vivas, outros de cores escuras, quase invisíveis, se afastam de nós à medida que avançamos pelos belos caminhos, já sem gravilha. Quando alcançámos o extremo oposto ao qual entrámos, deparámo-nos com aquilo que nos foi apresentado como "O Castelo": uma pequena estrutura em pedra, que formava uma semi-esfera, qual entrada para um iglo.

É um mundo a explorar. Precisamos de mais trabalho, mas o espaço tem potencial! Precisamos de patrocinadores, ajuda monetária, material, moral... qualquer coisa serve, neste momento.

Um grande bem haja ao senhor António Catarino, que nos forneceu todas estas informações e a todos os que leram isto, e até a uma próxima!
sinto-me: Cheio de ideias !
tags:
publicado por Tiago Silva às 19:08

link do post | comentar | favorito
|
17 comentários:
De Raquel a 15 de Outubro de 2007 às 22:36
Adoro a escrita..está repleta de sensações^^
Continuem a escrever com tal emoção e dedicação, e mais cedo ou mais tarde, vão ver a recompensa de tal 'sacrifício'.

Estou comvosco!! Uma localidade chamada de Massamá está prestes a ser purificada devido aos esforços destes jovens!! FORÇA =D
De F a 15 de Outubro de 2007 às 22:39
Epa, a sério....adorei o texto! que maneira de escrever tao pura e simples que faz do texto algo brilhante e tao agradavel de ler! encarar a cosntruçao de textos para um trabalho de projecto cmo algo natural e informal é uma boa e diferente maneira de fazer as coisas! gostei mesmo....até posso confessar que me senti dentro da estufa e até me comoveu a forma cmo apresentaram as carencias da estufa! impressionante =))

bom trabalho gente =D e força nisso! =P*

beijinhOs da colega, Fabi! =DD****
De Inês Daniela a 15 de Outubro de 2007 às 22:45
Realmente é lamentável a falta de condições dessa estufa!

Já sei qual é, só que nunca me tinh apercebido que era uma estufa!


Francamente... Q país!


Boa sorte =)

bjs***
De Pedro Figueiredo a 15 de Outubro de 2007 às 22:48
texto À MANEIRA.
sugestão: porque não falar com alguém da junta de freguesia sobre o assunto?
façam um estudo sobre o que é preciso, as condições, etc, e o vosso projecto poderia, no final, dar origem a uma colaboração activa da junta para a melhoria do espaço.
mas isso são questões a ver.
moro aqui tão perto e não conheço esse espaço...'meidas, quando lá voltares apita que vou também se estiver por cá.
força com a iniciativa, malta.
pedro f.
De Gonçalo a 15 de Outubro de 2007 às 23:10
Se conseguirem arranjar apoios, vão conseguir fazer o que pretendem. Mas se isso está tão mal como dizes, vai ser preciso muito dinheiro, e não só agora. Uma estrutura dessas de certeza que custa muito a manter... O que vocês vão fazer é realmente importante e de louvar! Esperemos que outros vos tomem como exemplo.

Boa sorte!
De Nimbea a 16 de Outubro de 2007 às 10:54
é óptimo saber que alguém faz alguma coisa! E não é só patrocinios que são precisos, vontade e muitas mãos fazem milagres! porque não pedir as pessoas que doem plantas? e também aos centros de jardinagem que dem uma ajuda, há tantos em Sintra...Ou então apadrinhamento, as pessoas apadrinham uma planta, e ficam lá com o nome delas, em troca de uma pequena contribuição semestral..
Outra coisa que podiam fazer era falar com o tágis e incluirem as borboletas no vosso projecto..
Vai actualizando... e Boa sorte!
De Anónimo a 16 de Outubro de 2007 às 14:22
ah pa, projecto até interessante e tal e isso tudo que a gente já sabe. boa sorte para o projecto pa, pra ti e para os outros membros que eu desconheço.

Peace out!

ass: um magano que faz milagres.(as vezes)
De Sofia a 16 de Outubro de 2007 às 19:07
Força GRUPÃO!! =D
eheh
De katia sobral a 16 de Outubro de 2007 às 21:45
A estufa parece ser boa, parece ser um bom espaço, pelo que foi aqui descrito pelo Tiago ;)... axo que o projecto vai ficar muito bom, se conseguirem esses apoios (uma estufa, sem água, e sem vasos, é um bocado estranha)....

bjs boa sorte
De Andreia a 17 de Outubro de 2007 às 17:03
Toca Delta <<<
Motivação e força de vontade é o que não nos falta, há que saber dar a volta por cima a todos os obstáculos que nos surgem. Por isso mesmo acredito que não vamos desistir deste projecto ^^ -
O outro mundo =) Aquela ESTUFA .

Comentar post

► O Grupo!

► Procure aqui

 

► Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

► Ultimos Posts

BioWeek

A avaliação em falta...

Regresso !

Primavera!!!...na Estufa

Resultados dos Inquéritos

Ponto da situação

Uma Aventura na Vergílio ...

Trabalho, trabalho e mais...

O que tanto esperávamos!

E Quando o Inesperado Aco...

► Arquivos

Junho 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

► tags

todas as tags

► Links

► Benvindo! É o visitante número...

free counter
online slots
blogs SAPO

► Indíce